Quase Quarenta

Queria envelhecer sem ficar velha

Amanhã, faço 39 anos (esta crônica foi escrita em 2014, portanto, nesta semana faço 44). Lembro-me quando (há muito tempo) fiz 30. Senti-me numa mudança de fase: doce ilusão. Naquela época, não houve grandes mudanças, com exceção de eu ter descoberto o nervo ciático. Agora, cruzes! Só rezo para que as Santas (da flacidez e das rugas) não me abençoem com suas dádivas. Mas as minhas súplicas não estão sendo ouvidas. Não mesmo! Ainda bem que existe a linha Make B Anti-Aging (do Boticário), e os hidratantes muitos sinais (da Natura).
E o pior, é que nem entrei (quase nem entrei) na era dos “enta”: quarenta, cinquenta, sessenta… Entretanto, já faço coisas de velha, tipo: controlar a alimentação, fazer atividades físicas e mamografia. Sei que boa alimentação e atividade física todo mundo deve sempre fazer, mas faço por pura necessidade, e não por vontade. Meu corpo não tem mais saúde para aguentar xis, pizza, e refrigerante todos os dias. Quando adolescente, acho que tinha dois fígados, pois não sentia os efeitos do “derretimento” de nenhum deles (tá, tenho só um, mas pareciam dois).
Se você gosta de acordar cedo, caminhar, pedalar, se “matar” na academia, comer tudo sem sal e sem açúcar, evitar bebidas alcoólicas e gorduras saturadas, parabéns!!! Você sofre menos, e viverá mais. Eu não! Quero comer tudo com muito sal, e com todos os tipos de queijo que eu puder comprar (no momento, parmesão e muçarela). Quero beber vinho, e nunca precisar ir à academia; e, mesmo assim, acordar com uma sensação de refrescância no estômago, com a barriga chapada, e a bunda dura.
Neste aspecto, as mulheres sofrem mais, porque têm alterações hormonais. E Deus me livre da menopausa! Ai, juro que eu esperava que, quando chegasse a minha vez de “menopausar”, já tivessem inventado algum recurso para eliminar os efeitos colaterais, principalmente os temidos “calorões”. Mas, pelo jeito, não vai ser dessa vez (já tá chegando a minha hora e, até agora, só ouço os cientistas falarem de células tronco para outras pesquisas, e nada para a menopausa).
Quando digo que sou uma mulher ocupada, que não tem tempo para ter útero, as pessoas não me entendem. Tive minha filha aos 21 anos (já que eu não queria mais ter filhos, podiam ter tirado o órgão de mim); essa coisa só me atrapalha: tive que ficar menstruando e entrando na TPM por anos, até descobrir o DIU Mirena (pelo menos não sei mais o que é menstruação, desde então), mas os médicos disseram que eu tinha que conviver com o útero ”inútil”, por vários motivos fisiológicos. Ok! Que o útero fique então.
Isso tudo não quer dizer que eu não esteja feliz em aniversariar. Pelo contrário, que venham mais 39!!! Se bem que uma cigana, que leu minha mão um tempo atrás, disse que eu viveria até os 76. Neste caso, tenho só mais 37 para aproveitar; mas eu tô aproveitando… Muito!!! E “simbora”, que amanhã posso comer bolo, e beber o que eu quiser, sem culpa. Afinal, é o meu dia!

Da série #CrônicasAntigas
Relembrando!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s