Crônica: Só levo o indispensável

25/06/2014 – Têm coisas que, quando acontecem com a gente, na hora, temos medo ou raiva, mas conforme o tempo passa e nos lembramos delas, damos muita risada. É o típico: “seria cômico, se não fosse trágico”. Eu mesma estava tendo uma lembrança dessas hoje cedo. Numa tarde chuvosa de um fim de semana qualquer, uma amiga e eu estávamos na paz do meu lar, debaixo das cobertas, assistindo a filme. De repente, uma ligação inusitada: era meu ex. Discutimos por telefone, e ele ficou descontrolado. No auge de sua irracionalidade, disse aos berros: “TO INDO AÍ E VOU QUEBRAR TUDO!”. Meu Deus! Fiquei em pânico e saltei da cama como pipoca na panela, alertando minha amiga. Disse, em tom acelerado: “corre que ele tá vindo”.

Calcei as botas rapidamente, deixando metade de um dos zíperes aberto; passei a mão num casaco, na chave do carro, e corri em direção à garagem, como se estivesse na maratona de São Francisco. Atrás de mim, vinha a tal amiga (não sei por que ela demorava tanto). Saí em disparada, dirigindo sem rumo, até acreditar que estávamos seguras. Parei o carro e, com o coração acelerado, peguei o telefone para ligar para alguém, não sei para quem; não raciocinava direito, mas tremia tanto que o celular saltava da minha mão.

No meio do meu desespero, olhei para ela: estava branca como uma cera e abraçada a duas bolsas, dois casacos, “257” nécessaires e ao seu par de botas. Não sei o que se passou na cabeça dela. A gente estava no meio de uma fuga para salvar nossas vidas! Pelo amor de Deus!!! Ela catou todos os seus pertences espalhados pela minha casa, e estava abraçada neles como se aquele amontoado de coisas fosse uma vida, uma criança… Sei lá.

Quer dizer que a casa está pegando fogo, e você se preocupa com o hidratante? Está prestes a naufragar no Oceano Atlântico, e não pode deixar para trás os seus perfumes? O avião fez uma aterrisagem no meio do deserto do Saara, e você se lembra da maquiagem? PURFAAAA!!! Por isso que demorou tanto para chegar até o carro: carregava todos os “cacarecos” no colo, andando com as pernas abertas, de pantufa, na chuva. Se ela fosse do exército, poderia ter perdido um soldado na guerra desse jeito. A pessoa parece não ter amor à vida mesmo. Sempre achei que eu fosse excessivamente vaidosa, mas, numa situação de risco, vi que a futilidade, incrivelmente, não afetou o meu cérebro. Incrivelmente mesmo! Até eu fiquei surpresa comigo, entretanto não posso dizer o mesmo sobre ela.

Enfim, o ex acabou se aquietando depois de falar comigo por telefone, vendo que não havia nada que ele pudesse fazer, sendo que eu já não estava mais em casa. Passou de Incrível Huck a cachorrinho-que-caiu-do-caminhão-da-mudança em minutos. Percebi que ele, de fato, não representava ameaça, porém havia nos assustado, de verdade, naquela hora. O que acabou gerando uma fuga muito atrapalhada, digna de um filme de comédia, que nos rendeu risadas infinitas depois que o “incêndio” foi apagado. A imagem dela tentando correr com mil coisas desajeitadas no colo, de pantufa na chuva, nunca vai sair da minha cabeça e, apesar de todos os pesares, confesso que o seu lema me agrada, e muito: “se for para morrer, morreremos lindas!”.

Da série #CrônicasAntigas
Relembrando!

3 respostas para “Crônica: Só levo o indispensável”

  1. Pati o lema “se for para morrer, morreremos lindas”, não vale para você, e talvez apenas para ela. Achei engraçado ai,mas fica a reflexão de que em momentos com adrenalina temos que respirar e pensar. Agir sob emoção é complicado pois tem 50% dar certo ou errado. No caso ai, bastava trancar a casa e aguardá-lo de preferência com a polícia a espera dele. Mais nada!!! Fico a imaginar o porquê do descontrole dele. Deve ser um martírio ser um “ex” seu. Não sei ai, mas aqui esses casos de relação homem x mulher ( casado, namora, noivo e até amante) tem muita chance de dar tumulto pois é questão 100% emocional e pessoal de cada uma. Aqui sempre me perguntam que tipo de arma devem comprar ! devolvo a resposta: você tem coragem de matar ?? em 98% das resposta, sempre recebo um NÃO. Só dai vem minha resposta: e pra que você quer isso ??? Ou seja, é questão emocional e pessoal. As vezes até rola questão religiosa. Mas o importante é mantermos calma, respirar e pensar – as vezes complicado, mas só assim mesmo.
    Avisa pra sua amiga que é muito triste ter um lema desses e pra ela “se jogar” e conseguir outro leva.
    Um que eu gosto é “fazer valer a pena”
    Bjs,
    R

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s