Crônica: Bom diaaaaaaaa!

Quem anda dormindo, é sonâmbulo

setembro/2014 – Tam, tam, tantam… Tam tam, tantam (leia-se despertador)… Peguei o celular, como faço todos os dias, para desligar o despertador. Desliguei e aproveitei para atualizar o face, verificar meus e-mails, e responder o whats. Levantei-me depois daquela espreguiçada; na sequência, banho e café; e lá fui eu, pegar aquele trânsito, digno de Marginal Tietê, que liga o Vale dos Sinos a Porto Alegre.

Na calçada, encontrei um vizinho, e, com um sorriso franco no rosto, disse um “bom diaaaaa!”, bem animado. Ele nem levantou a cabeça. Continuou andando, sem levantar os pés do chão, e murmurou um “oi”, bem murchinho. Dei de ombros e segui. Parei no posto para abastecer o carro, e o frentista parecia estar no “piloto automático”. Meio sem me olhar, pegou as chaves e foi encher o tanque.

Antes da primeira reunião do dia, contei para um colega sobre a viagem que eu tinha feito na semana anterior. Falei da gastronomia local, dos pontos turísticos e, enquanto fazia minha animada narrativa, cravejava-o de perguntas sobre suas experiências de viagem. Ele me respondia monossilábicamente, e numa desanimação que me obrigou a perguntar se ele queria uma Fluoxetina. Sem deixá-lo responder, relatei do meu vizinho e do frentista, e conclui que deveria haver alguma virose no ar, contagiando todo o mundo com uma espécie de depressão, desânimo, sei lá…

Ele me respondeu que eram 8h30 da manhã e que não tinha acordado ainda. Como assim??? Não entendo essas pessoas dizendo que não acordaram ainda, quando estão de pé, na rua, no trabalho, em qualquer lugar, menos em suas camas dormindo. Se a pessoa não acordou ainda, está sonâmbula, vai se tratar! Eu abro os olhos e pronto: acordei. Simples assim. Posso conversar sobre qualquer coisa, dirigir, ler um livro, redigir um texto, fazer compras, fazer faxina na casa, ir para a academia, são infinitas as possibilidades.

Tudo bem que minha hiperatividade me conecta a 220 volts assim que saio da cama; que, por isso, talvez, eu não seja parâmetro. Mas ter um cérebro em “ponto morto” na metade do dia, é demais também. Na minha opinião, você pode escolher uma dessas quatro opções: estar acordado, dormido, bêbado, ou dopado de remédios. Pode até estar acordado e bêbado, ou dormindo e dopado de remédios; são combinações permitidas. Entretanto, estar de pé, de olhos abertos, no trabalho, com uma caneca de café na mão, não é uma opção aceitável. E depois, a doente mental sou eu!

Da série #CrônicasAntigas
Relembrando!!

Uma resposta para “Crônica: Bom diaaaaaaaa!”

  1. Muitas pessoas não sabem agradecer ou reconhecer o grande presente Divino na simplicidade em abrir os olhos. A Vida é para ser Vivida !!!!! Não adianta reclamar. Segredo é determinação. O texto é exemplo prova disso e por isso prefiro viver nos 440w.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s