Reportagem – éLeBê Entreparedes

A fusão dos ricos sabores tradicionais e do perfeito toque contemporâneo.
Se fechar os olhos, você se sentirá
desfrutando de uma refeição na casa de sua família.

Design! Esta é a palavra que não sai da sua cabeça logo que você entra no restaurante éLeBê Entreparedes. O lugar é todo estiloso, numa mistura entre o moderno e o clássico, que na verdade já traduz muito da sua gastronomia. O menu é uma fusão entre o que há de mais tradicional da cozinha portuguesa e o contemporâneo. O resultado são construções saborosíssimas.
Toda esta fusão não foi criada por acaso, o Chef Carlos Torres, contou que a gastronomia faz parte de quem ele é. Afinal, a história da família toda se deu em torno da cozinha. Seu avô, Antônio Torres da Silva, foi o primeiro professor que recebeu o título de Chef em Portugal, em 1969.
Vivendo no meio de uma família de grandes maestros da cozinha, desde criança Carlos Torres se interessou por este universo. Estudou e se formou cedo e em 2014 abriu o éLeBê da Baixa do Porto, nos anos seguintes expandiu com mais um éLeBê no centro do Porto e um dentro da Fortaleza de Póvoa de Varzim. E agora, em 2018, o éLeBê Entreparedes. Com apenas 27 anos, o jovem Chef já criou um legado e tem planos de expandir ainda mais. “Temos um projeto para Braga em 2020, totalmente voltado para o turismo”, antecipa.
Além de seu espírito empreendedor e sua maestria na cozinha, o Chef também cria o desing de suas próprias louças. Quase tudo no restaurante possui seu toque pessoal. Todos os pratos e travessas foram pensados e planejados para levar até a mesa o alimento preservando seu sabor, temperatura e aroma. Proporcionando a quem degusta a melhor experiência possível.
Eu amei cada prato que degustei, de uma forma geral posso dizer que me senti jantando na casa da minha avó. Comida com gosto de família. O lugar te proporciona esta sensação: de se sentir acolhido, aconchegado. É como se estivesse em casa. Porém, ao mesmo tempo que desfruta estes sabores e sensações, você está num ambiente moderno e requintado, com apresentações contemporâneas e atualizadas.
Me surpreendeu. Principalmente quando eu comentei das minhas raízes familiares e do quanto a polenta me lembra a minha família. Depois de ouvir minha pequena confissão nostálgica, como um perfeito anfitrião, o Chef preparou, especialmente para mim, uma porção de polenta caseira. Foi um cuidado e um carinho fora de série. Como dizem aqui em Portugal: cinco estrelas! Muito obrigada mesmo. Me emocionei. Agradeço o convite e deixo aqui as imagens e descrição do menu que degustei.

Couvet&entradas

Pão bolo do caco da Madeira, em manteiga de alho, acompanham azeitonas aromatizadas e azeite avinagrado do Chef. Não perde de provar este pão. Incrível!
Torricado do Ribatejo
Leva lascas de bacalhau em tosta Ribatejana, cebola e tomate maduro. O crocante da tosta com o úmido do bacalhau é uma combinação perfeita. Não dá vontade de parar de comer.


Escabeche de Lampreia
Escabeche de Lamprea do Rio Lima, em cebola avinagrada. O toque de acidez é tão perfeitamente equilibrado que parece um espetáculo na boca.
Tripas à moda do Porto
Receita típica e cuidada, com dobrada e feijão branco. Esta entrada pra mim vale por uma refeição. Consistente e ricamente saborosa.
O couvert e as entradas foram harmonizados com o Alvarinho Muros Antigos 2017, encorpado e bem estruturado, perfeita combinação.

Pratos principais

Açorda de Bacalhau em pão Alentejano
Receita típica de açorda, servida no interior de um pão alentejano e acompanhado por gambas. Cremosa e bem temperada, servida lindamente no pão.
Chanfana de Javali
Prato típico onde o javali selvagem é acompanhado com castanhas do outono. Como eu posso falar deste prato? Eu amo javali e castanhas. Tudo junto então!!! Nota mil!

Polvo bébé em azeite da serra
Púlpito confitado com puré de batata doce e cebola caramelizada. Um prato refinado e divinal!
Bife na caçarola da avó Gustinha
Bife do lombo de boi adocicado pelo segredo da avó, enriquecido por presunto da serra. O Chef não conta o segredo de jeito nenhum, nem em off. Só posso dizer que ameiiiii. Comidinha de vó mesmo.


Os pratos principais (Açorda e Polvo) foram harmonizados com vinho branco Douro Manuel Correia, reserva 2017, fresco e intenso. Já a carne e o javali degustei com o tinto DouroManuel Correia, reserva 2014, de paladar denso e final longo. Ambos fizeram a diferença na finalização de sabores à boca. Perfeitos!

Sobremesas

Rabanada tradicional do chef
Doce típico de natal enriquecido por gelado de licor de baunilha. Harmonizada com vinho do Porto Niepoort, LBV 2013, textura sedosa e saborosa, amei este Porto! Presença perfeita que a Rabanada pede.
Sericaia
Doce de ovos típico alentejano. Harmonizada com Vinho do Porto Dona Antônia Reserva Tawny, rico e persistente, contraste harmonioso com a doçura da Sericaia.

espaçofotógrafo André Fontoura1
Foto by André Fontoura

Mais sobre o éLeBê Entreparedes
www.elebe.pt
entreparedes@elebe.pt
Rua de Entreparedes 37
4000-198 – Porto
+351 221 126 603| 913 659 546

Espero que tenha curtido minha experiência. Adoraria saber da sua.
Divida comigo sua experiência gastronômica e/ou vínica!
O que mais gostou? O que detestou?
Lugares que vc indica e os que não recomenda.
Mande direct pelo insta @lazzarettipati
Msg pelo facebook/patilazzaretti
Ou email pati.lazzaretti.nh@gmail.com

 

4 respostas para “Reportagem – éLeBê Entreparedes”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s